Motorista invade praia em Copacabana, atropela pedestres e mata bebê

m motorista atropelou pedestres ao invadir o calçadão e a praia Praia de Copacabana, na Zona Sul do Rio, na noite desta quinta-feira (18). Um bebê de 8 meses morreu e outras 16 pessoas ficaram feridas.

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, das 16 vítimas, nove com ferimentos mais graves foram levadas para o Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea, Zona Sul da Cidade. Destas, três receberam alta na madrugada desta sexta-feira (19) e seis permaneciam internadas, uma delas em estado grave. As outras sete pessoas feridas foram socorridas no Hospital Souza Aguiar, todas com ferimentos mais leves, incluindo a mãe do bebê que morreu.

A vítima em estado grave é um turista australiano, segundo a Secretaria de Saúde. O homem, de 68 anos, e que não teve a identidade informada, sofreu traumatismo craniano e respira com ajuda de aparelhos.O motorista foi detido e identificado como Antonio de Almeida Anaquim, de 41 anos. Ele foi levado para a 12ª DP, em Copacabana, e disse que perdeu o controle do carro porque "apagou" após sofrer um ataque epilético.

De acordo com o Departamento de Trânsito do Estado do Rio de Janeiro (Detran-RJ), Anaquim está com a carteira de habilitação suspensa. Ele acumula 62 pontos por infrações e 14 multas nos últimos 5 anos.O motorista foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) onde foi submetido a exame de alcoolemia. A perícia encontrou remédios para epilepsia no carro que ele dirigia. No momento do acidente, Anaquim estava acompanhado de uma mulher que, segundo a polícia, fugiu do local. Depois, ela se apresentou na delegacia e disse que saiu do local do atropelamento porque ficou assustado. Ainda segundo a polícia, a mulher confirmou em depoimento que o motorista sofreu um ataque epilético.

Maria Louise, a bebê que morreu no atropelamento, passeava com a mãe, Niedja da Silva Araújo, e com a avó, que mora no Recife. O pai, o motorista Darlan Rocha, foi à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Copacabana e pediu a prisão do motorista. 

"Quero Justiça, que ele fique preso. Não é para ter carteira de motorista nem estar dirigindo. Ele é um assassino. Matou minha filha", afirmou.Daris La Mar, de 40 anos, que tentou ajudar no resgate, conta que socorristas tentaram reanimar o bebê por 50 minutos: "Quando cheguei no calçadão, havia muitas pessoas feridas e, quando me aproximei da mãe e do bebê, ela apenas falava: 'Meu bebê! Cadê o meu bebê!!!'. Aí a avó me deu o bebê e falou: 'Salva o meu bebê'. A primeira viatura que parou foi a Guarda Municipal e nos trouxe aqui".

'Vi o carro voando'

Uma testemunha ouvida pela TV Globo diz que viu o veículo "voando" ao entrar no calçadão da praia.

"Na hora, ouvi um estouro. Olhei e era o vulto de um carro voando, na altura de uma pessoa, depois deu um baque no chão. Pegou um senhor e foi atropelando os carrinhos da praia. Levou no mínimo umas 15 pessoas, foi varrendo."


Outras Notícias

Interrupção do Abastecimento 22/02 em bairros de Igarapé e São Joaquim de Bicas

A Copasa informa que o abastecimento de água dos bairros Campina Verde, Centro, Cidade Jardim, Marechal Ron...

Jovem se torna herói após levar 5 tiros enquanto protegia 20 alunos na Flórida

O jovem Anthony Borges, de 15 anos, uma das vítimas do massacre numa escola de Parkland, na Flórida, na semana passad...

Beija-Flor é a campeã do carnaval 2018 do Rio

Com críticas ao "Brasil monstruoso", escola falou de corrupção e intolerância e levou seu 14º título.A Beija-Flor de ...

Mortos em acidente com ônibus em Belo Horizonte são enterrados

Pelo menos três, dos cinco mortos no acidente com um ônibus, na Região do Barreiro, foram enterrados nesta quarta-fei...

Carnaval de Belo Horizonte deve ter cerca de 3,6 milhões de foliões

capital mineira espera ter 3,6 milhões de foliões nos quatro dias de carnaval. São esperados 180 mil turistas e a est...